terça-feira, 10 de maio de 2011

Sobre aquela serra do jardim do édem do livro de mentiras.

Sentiu o vento do topo do mundo nos cabelos loiros.
Disse que queria mais.
Sentiu a água fria que brota do chão nos pés quentes.
Arrepiou e disse que queria mais.
Sentiu a pedra áspera da montanha nos joelhos já ralados.
Urrou de dor e disse que queria mais.
Sentiu a grama molhada de orvalho nas costas queimadas do sol.
Sonhou e disse que queria mais.
Sentiu a luz das estrelas nos olhos quase cerrados.
Sorriu e disse que queria mais.
Sentiu, dentro do peito e em todo seu corpo, as inúmeras vontades, desejos e querências. Sentiu tudo e resolveu dizer:
Não quero mais. Não preciso de mais. Tudo está completo tal qual a montanha e suas virtudes.

Um comentário:

pedro disse...

Vamo faze uma casa da arvore e morar lá?