quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

O Futuro Próximo da Humanidade de Todos os Tempos

O Futuro Próximo da Humanidade de Todos os Tempos

Não sei porque corro do tempo. O tempo corre e eu nem vejo.
O hoje passou tão rápido, que até o ontem é mais recente.
Não há como fugir dessa reação em cadeia:
Tudo leva ao nada, aproveite enquanto der.
E, quando não der mais pra aproveitar, deixe que as bactérias façam seu trabalho medíocre de decompor.
Você não irá voltar, não irá para nenhum lugar melhor, não ficará zanzando por aí como um ser intangível.
Seu cérebro simplesmente desliga, pára de funcionar, e volta a ser o que ele sempre foi:
Um amontoado de átomos sem graça, que não ouvem boa música e muito menos escrevem poesia.

2 comentários:

déborah disse...

eu ouço boa música sim .han
ahidhodhia *_*

Iarinha disse...

Que perfeito o espaço . As palavras .
;)